Brasil supera a marca de 20 milhões de empresas em funcionamento

Dados apontam como o melhor desempenho em dez anos

Se a pandemia causou uma crise econômica resultando em desemprego, ela também foi o pontapé para que os brasileiros se renovassem e pudessem abrir o próprio negócio.

É o que aponta o Boletim anual do Mapa de Empresas, apresentado pelo Ministério da Economia, em que o país rompeu a marca dos 20 milhões de negócios em funcionamento em 2020. Foram 3.359.750 novas empresas, um aumento de 6% na abertura de negócios em relação ao ano anterior. No mesmo período, ocorreu o fechamento de 1.044.696 empresas, o que representa queda de 11,3% na comparação com 2019. O saldo positivo é de 2.315.054 empresas abertas.

Desburocratização

Outro ponto que favoreceu o empreendedorismo foi a desburocratização de processos para abertura de novas empresas, adotado em setembro pela resolução nº 61 que segue os princípios da Lei de Liberdade Econômica. Entre as medidas está a dispensa de pesquisa prévia de viabilidade locacional para atividades realizadas exclusivamente de forma digital. Com isso, foi possível agilizar o processo de abertura de empresas, permitindo que o cidadão prossiga rapidamente às etapas necessárias para a formalização de seu empreendimento.

A resolução também permitiu a dispensa de pesquisa prévia na hipótese do empreendedor optar por utilizar o número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) como nome empresarial, seguido da partícula identificadora do tipo societário. O objetivo é eliminar a possibilidade de semelhança de nomes no registro, facilitando a vida do empresário.

Redução do tempo médio

Desde janeiro de 2019, o tempo médio de abertura de empresas foi reduzido mais da metade representando mais de 45% das empresas abertas em menos de um dia.

Os principais destaques do ano de 2020 no tempo reduzido para abertura de empresas foram, nesta ordem: Goiás (onde se abrem negócios em média em 1 dia e 2 horas); Sergipe (1 dia e 5 horas); Paraná (1 dia e 6 horas); Distrito Federal (1 dia e 8 horas), e Amapá (1 dia e 11 horas). No Paraná, a variação positiva foi de 65% no tempo para abertura, na comparação entre o segundo quadrimestre, quando havia ocorrido a última apresentação do boletim do Mapa de Empresas, e o terceiro quadrimestre do ano. Curitiba passa a ser a capital onde se abre empresas mais rápido, com um tempo de apenas 22 horas.

Microempreendedores

Outro reflexo da Lei da Liberdade Econômica, adotada em 2019, é o aumento dos empreendedores individuais. Nesta modalidade estão incluídos os MEIs – Microempreendedores Individuais. Do total de empresas abertas em 2020, 2.663.309 eram MEI. O segmento responde por mais da metade dos negócios em todo o país, com 56,7%.

 

Com informações do Ministério da Economia.