Brasil vai ampliar acesso a saneamento básico em áreas rurais com apoio do BID e do Governo Suíço

A iniciativa prevê o desenvolvimento tecnológico de soluções de saneamento básico das esferas federal, estadual, municipal e das comunidades

Dados do Programa Saneamento Brasil Rural (PSBR) apontam que o abastecimento de água e esgotamento sanitário nas zonas rurais do Brasil é de 40% e 20,6%, respectivamente, e somente 31% das residências dispõem de acesso a água diariamente.

Neste sentido, a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento, com a participação do Ministério da Saúde e do governo Suíço, por meio de sua embaixada, firmaram Acordo de Cooperação Técnica (ACT). O objetivo é levar mais ações e serviços de saneamento básico sustentáveis a áreas rurais e comunidades tradicionais, impulsionando a implantação do Programa Saneamento Brasil Rural (PSBR).

A iniciativa prevê o desenvolvimento tecnológico de soluções de saneamento básico, capacitações, intercâmbio de experiências com modelos de outros países da América Latina e o fortalecimento da gestão articulada de entes governamentais das esferas federal, estadual, municipal e das comunidades.

A cooperação, no valor total de US$ 875 mil e com duração de 36 meses, vai financiar atividades que promovam serviços de saneamento mais adequados, seguros, inclusivos e acessíveis. Do montante total, US$ 525 mil são oriundos da Agência Suíça para o Desenvolvimento e Cooperação (COSUDE) e US$ 350 mil do BID.

Para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a medida é mais uma ação do Governo Federal que beneficia quem mais precisa no país. “Água é vida e é saúde. Com a entrega de água tratada, conseguimos diminuir a proliferação de diversos tipos de doenças. Esse é o compromisso do Estado brasileiro, com a dignidade das pessoas em cada canto do país”, afirma.

De acordo com o presidente da Funasa, Miguel Marques, a cooperação técnica contribuirá para o fomento de ações da fundação pelo país. “Este aporte de recursos possibilitará à Funasa continuar fomentando o saneamento pelo Brasil, em especial, as ações em áreas rurais. Quero agradecer à COSUDE, ao BID e ao Ministério da Saúde, na pessoa do ministro Queiroga, que tem nos permitido desburocratizar a gestão pública para que tenhamos condições de atender mais pessoas porque quem tem sede, tem pressa”, ressalta.

“O Brasil é um grande parceiro e a cooperação com a Suíça tem crescido cada vez mais. A água é uma temática importante para a nossa política exterior. Por isso, através do projeto SIRWASH, estamos trabalhando para garantir suprimento confiável de água potável e saneamento adequado. Reconhecido como um direito humano desde 2010, o acesso à água potável e ao saneamento são essenciais para atender às necessidades humanas básicas”, afirma Pietro Lazzeri, embaixador da Suíça no Brasil.

Por sua vez, o representante do BID no Brasil, Morgan Doyle, celebrou a parceria. “Nossa expectativa é de que essa cooperação técnica ajude a melhorar os serviços de saneamento básico para cerca de 29 milhões de pessoas localizadas em áreas rurais e comunidades tradicionais com soluções sustentáveis e inovadoras – pilares fundamentais de nossa Visão 2025”, destacou.

Sobre o COSUDE

A COSUDE (Agência Suíça para o Desenvolvimento e Cooperação) é uma agência do Governo Suíço dentro Departamento Federal Suíço de Relações Exteriores (FDFA). A cooperação internacional suíça está ativa no mundo desde 1961.

Sobre o BID

A missão do Banco Interamericano de Desenvolvimento é melhorar vidas. Fundado em 1959, o BID é uma das principais fontes de financiamento de longo prazo para o desenvolvimento econômico, social e institucional na América Latina e no Caribe. O BID também realiza projetos de pesquisa de ponta e presta assessoria política, assistência técnica e treinamento a clientes públicos e privados de toda a região.

 

Com informações da Funasa.