Cartilhas contribuem na rotina das crianças e estimulam a prática de atividades terapêuticas durante a pandemia

Material faz parte de um plano de cuidados elaborado por uma equipe multidisciplinar da Mejc-UFRN/Ebserh

Diante das novas mudanças impostas pela pandemia na rotina familiar e do impacto causado na saúde mental das pessoas, a Maternidade Escola Januário Cicco, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e vinculada à Rede Ebserh (MEJC-UFRN/Ebserh), disponibilizou duas cartilhas que alertam para a necessidade do auto cuidado. O objetivo é auxiliar no enfrentamento da Covid-19.

Ambas as cartilhas estão incorporadas ao Projeto de Extensão “Saúde Mental dos Trabalhadores da MEJC frente à Pandemia da Covid-19”, vinculado ao Departamento de Enfermagem da UFRN. A primeira é destinada aos pais e traz dicas de atividades para o equilíbrio da rotina das crianças durante a pandemia. A segunda tem em seu conteúdo sugestões de terapias complementares para o autocuidado, como forma de aumentar a imunidade diante da pandemia da CovidD-19.

A terapeuta ocupacional da Mejc, Cecília Campos, fala que a ideia de construir as cartilhas surgiu a partir de relatos de alguns pais, funcionários da instituição, relacionados ao estresse e as dificuldades de conciliar a nova realidade diante do aumento das atividades no home office e no home school, atrelados aos conflitos gerados a partir dessas situações. “Em meio ao atual cenário, percebemos a necessidade de produzir esse conteúdo como forma de auxiliar as pessoas no enfrentamento da pandemia e de minimizar as consequências prejudicais à saúde mental e emocional dos indivíduos”, afirma.

Conteúdo

A especialista explica que a cartilha “Dicas de atividades para o equilíbrio da rotina das crianças na quarentena” tem como objetivo principal propor uma melhor organização da rotina das crianças de 18 meses a 12 anos. Já a cartilha de práticas terapêuticas, ilustra de forma didática algumas terapias complementares em prol do auto cuidado como a acupuntura, a automassagem nos pés, o uso de plantas medicinais e a prática da aromaterapia.

Para a psicóloga Monique Pimentel, o diálogo entre os membros da família, principalmente com as crianças, é de extrema importância para ajudá-las a compreender e a significar os sentimentos diante das situações. “Propor uma rotina de atividades, envolvê-las em afazeres domésticos de uma maneira lúdica e propor atividades educativas visa minimizar os impactos causados pela pandemia”, comenta.

Em se tratando do auto cuidado e da prevenção dos riscos à saúde mental, a psicóloga lembra que investir em exercícios e ações que auxiliem na redução do nível de estresse como meditação, leitura, exercícios de respiração e automassagens auxiliam a situar o pensamento e estimular ações que permitam o gerenciamento das emoções durante a pandemia.

Ambas as cartilhas estão disponíveis e podem ser acessadas nos links abaixo.

Atuação da Rede Ebserh

Além do apoio ao ensino, formação e capacitação das equipes assistenciais, a Rede Ebserh implementou o Comitê de Operações Especiais (COE) para definir estratégias e ações em nível nacional para o enfrentamento da pandemia. Desde os primeiros anúncios sobre a Covid-19, a Rede Ebserh tem trabalhado em parceria direta com os ministérios da Saúde e da Educação, com participação nos COEs desses órgãos, e tendo como diretrizes o monitoramento da situação no país e em suas 40 unidades hospitalares.

Tem atuado na realização de treinamento de funcionários da Rede, promoção de webaulas, definição de fluxos e instituição de câmaras técnicas de discussões com especialistas. Promoveu processos seletivos emergenciais com a possibilidade de contratação de aproximadamente 6 mil profissionais temporários para o enfrentamento da pandemia

Também disponibilizou R$ 274 milhões para ações contra o coronavírus, recursos do Ministério da Educação (MEC) liberados pela Ebserh de acordo com a necessidade e urgência de cada unidade hospitalar. A verba está sendo utilizada em adequação da infraestrutura, aquisição e manutenção de equipamentos, compra de medicamentos e outros insumos, além de equipamentos de proteção individual.

Em algumas regiões, as unidades da Rede Ebserh têm atuado como hospitais de referência ao enfrentamento do Covid-19, enquanto que em outras, atuam como retaguarda em atendimentos assistenciais para a população, por meio do Sistema Único de Saúde.

 

Fonte: Portal Gov.br