Concurso premia projetos sustentáveis para habitações de interesse social

Inscrições podem ser feitas até 26 de abril

Investimentos em habitação social é um dos maiores desafios por parte do governo.

De acordo com uma pesquisa da FGV (Fundação Getúlio Vargas) em parceria com a Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), o Brasil tem um déficit habitacional de 7,78 milhões de moradias.

O número de habitações precárias e de adensamento excessivo (muitas pessoas morando no mesmo lugar) chega a mais de 1,2 milhão.

Diante desse contexto, refletir sobre as possíveis soluções para a habitação social é um assunto de interesse público e, principalmente, de arquitetos e urbanistas.

Buscando reconhecer projetos arquitetônicos de habitações de interesse social que sejam inovadores, sustentáveis e possibilitem redução do consumo de energia, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) em parceria com a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ) lançou o Concurso Nacional de Ideias em Arquitetura para Eficiência Energética em Habitação de Interesse Social.

O concurso tem como público-alvo escritórios de projetos de arquitetura e arquitetos empregados em construtoras, empreiteiras e companhias de habitação, devidamente inscritos no Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) do Brasil.

Os planos devem incorporar os pré-requisitos de habitações que compõem o Programa Casa Verde e Amarela, que estão citados no edital do prêmio. Além disso, as moradias devem ser adaptáveis e replicáveis em diferentes regiões e contextos, adaptando-se a vários climas, mantendo a eficiência energética sem aumento dos custos.

O Concurso traz o foco no desenvolvimento de ideias que possam ser facilmente replicáveis para atender a escala necessária da demanda por habitação, e ao mesmo tempo adaptáveis às diferentes condições urbanas do país. Esse salto qualitativo no projeto é fundamental para possibilitar maior eficiência energética a um custo menor, aumentando a sustentabilidade da produção habitacional nas suas dimensões ambiental, social e financeira.

As inscrições vão até 26 de abril. Já o envio dos projetos arquitetônicos deve ser feito de 12 a 14 de maio. O resultado final, após análise de comissões consultiva e julgadora, está previsto para 24 de maio, com homologação após prazo de recurso em 2 de junho.

 

Premiação

Serão escolhidas três propostas para o primeiro lugar. Cada uma delas receberá R$ 20 mil e assinará um contrato de R$ 113,3 mil com a GIZ para implantação dos projetos em terrenos cedido pela Associação Brasileira de COHAB (ABC). Outros três projetos também serão selecionados e receberão os R$ 20 mil.

O edital e todas as informações sobre o concurso estão no portal http://www.habitacaodeinteressesustentavel.org/.

 

Com informações do Ministério do Desenvolvimento Regional.