Contran aprova tema para as campanhas educativas de trânsito de 2021

Mote referendado no dia 15 deste mês, dará as diretrizes aos órgãos competentes sobre as ações de segurança viária de todo o país

Na última reunião do ano, realizada no dia 15 deste mês, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) aprovou o novo tema para as campanhas educativas de trânsito de 2021. O mote “No trânsito, sua responsabilidade salva vidas” será utilizado para subsidiar todas as ações voltadas para a segurança viária organizadas pelos órgãos do Sistema Nacional de Trânsito (SNT). A nova mensagem deverá ser veiculada, obrigatoriamente, nos meios de comunicação social em toda peça publicitária destinada à divulgação de produtos da indústria automobilística.

“O objetivo das nossas campanhas educativas é salvar o maior número de vidas no trânsito. Vamos começar o próximo ano com o tema que traz a responsabilidade como elemento principal, levando mais segurança e educação para todos os condutores do país. O Contran, mais uma vez, está empenhado em colaborar para que as ações possam evitar os acidentes e conscientizar a sociedade”, afirmou o presidente do Contran e diretor-Geral do Denatran, Frederico Carneiro.

OUTRAS DELIBERAÇÕES – O Contran referendou também as minutas de resolução referentes ao Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito (Renaest) e o Certificado de Registro de Veículo eletrônico (CRVe), que está sendo incluído no programa de transformação digital do Ministério da Infraestrutura (MInfra).

Além disso, os conselheiros aprovaram a resolução sobre os procedimentos para a integração dos municípios ao SNT, por meio dos seus órgãos e entidades de trânsito. A medida visa facilitar o ingresso dos municípios por meio de convênio e consórcio.

O Contran também aprovou os requisitos de segurança para a circulação de veículos transportadores de contêineres, que contribuíra para o aumento da produtividade e redução dos custos do transporte de cargas com baixa densidade. Os contêineres permitidos serão de 53 pés, já utilizados em transporte rodoviário e ferroviário em outros países.

 

 

Fonte: Portal Gov.br