”E se fosse você na rua?”: campanha alerta sobre a violência contra pessoas em situação de rua

Em resposta à violência cometida contra a população de rua, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) organizou a campanha “E se fosse você na rua?”

O MMFDH, em conjunto com o Movimento Nacional de População de Rua (MNPR) e outros órgãos e organizações mobilizados, produzirão e organizarão uma série de mídias sobre a erradicação da violência contra a população em situação de rua. As peças da campanha ficarão disponíveis para qualquer pessoa ou instituição que quiser aderir, divulgar e inserir a sua logo.

De acordo com o secretário nacional de proteção global, Alexandre Magno, com a iniciativa, a Pasta pretende contar com a mobilização e participação da maior quantidade de pessoas e organizações possível para construir uma campanha de todos para todos.

“Sem bandeiras partidárias e ideológicas, capaz de influenciar sociedade a dar um basta na violência contra a população em situação de rua e promover ações de solidariedade e acesso a direitos”, afirmou.

Magno destaca que a SNPG toma a frente para iniciar essa campanha colaborativa que envolverá o poder público nas três esferas de governo, sociedade civil, organizações religiosas, empresas, artistas, atletas, parlamentares, imprensa e toda e qualquer pessoa e organização que queira participar.

A campanha gira em torno do Dia Nacional de Luta da População em Situação de Rua, celebrado em 19 de agosto. A data relembra a barbárie conhecida como a “chacina da Praça da Sé”, ocorrida entre os dias 19 e 22 de agosto de 2004, em São Paulo, quando 15 pessoas em situação de rua foram cruelmente atingidas na cabeça enquanto dormiam, levando sete delas a óbito.

Segundo estimativa da população em situação de rua no Brasil, realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), o número estimado dessa população é de 221.869 (dados de março de 2020). Essas pessoas enfrentam a violência diária, física e psicológica, impostas pela exclusão social.

Entre as razões da violência contra pessoas em situação de rua, a conclusão que se chega é que tal violência é motivada por medo, ódio e discriminação. É preciso enfrentar esse problema de maneira integral, por um lado promovendo o respeito e os direitos dessas pessoas, por outro, executando ações concretas para que essas possam sair da situação de rua e sejam reinseridas no convívio social.

 

Fonte: Portal Gov.br