Empreendedores já acessaram R$ 4,1 bilhões em operações de crédito no Centro-Oeste

Maior percentual dos recursos disponibilizados pelo Fundo Constitucional de Financiamento foi para atividades rurais na região

Nos primeiros seis meses de 2019, empreendedores e produtores do Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul acessaram R$ 4,1 bilhões em recursos oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). As operações de crédito, voltadas prioritariamente a atividades de pequeno e médio porte, aquecem a economia, geram emprego e renda na região. Os valores são administrados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e concedidos por meio do Banco do Brasil.

Goiás foi o estado que mais contratou recursos no primeiro semestre deste ano. A unidade federativa obteve R$ 1,5 bilhão para o financiamento de atividades econômicas. Na sequência, aparecem Mato Grosso, com R$ 1,2 bilhão; Mato Grosso do Sul, com R$ 874,9 milhões; e Distrito Federal, com R$ 359,5 milhões.

A maior parte do total concedido pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste foi destinado ao crédito rural. Foram R$ 2,4 bilhões disponibilizados a produtores da região, inclusive agricultores familiares

O líder no segmento rural foi Mato Grosso, que registrou R$ 894,7 milhões em créditos. Goiás aparece logo na sequência, com 837,4 milhões captados, seguido do Mato Grosso do Sul, com R$ 599,3 milhões; e Distrito Federal, que acessou R$ 144,1 milhões.

Outros setores

Nos segmentos urbanos, a maior concentração de financiamentos do FCO se deu para atividades de comércio e serviços, que tiveram acesso a R$ 1,1 bilhão no primeiro semestre deste ano. Outros R$ 355,8 milhões foram concedidos para o fomento a indústrias do Centro-Oeste. Projetos de infraestrutura acessaram R$ 103,8 milhões, enquanto o ramo turístico contratou R$ 17,7 milhões no período.

Condições atrativas

O FCO é um dos três fundos constitucionais criados para implementar a política de desenvolvimento regional e reduzir as desigualdades entre as diferentes áreas do País – os outros são o do Norte (FNO) e do Nordeste (FNE). Atividades de pequeno e médio porte são prioritárias à concessão de crédito, embora a iniciativa ofereça condições atrativas também a grandes investidores. Para o setor rural, as taxas de juros são as mais baixas de mercado e contemplam agricultores familiares por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Saiba mais.

 

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Regional