Mais de 13,7 milhões de brasileiros declararam ter algum sintoma de síndrome gripal em julho

Pesquisa realizada pelo IBGE foi apresentada durante coletiva de apresentação de dados sobre a Covid-19 no Ministério da Saúde

Em julho, 13,7 milhões de brasileiros declararam ter tido algum dos sintomas de síndrome gripal relacionados à Covid-19. O número foi menor na comparação com maio e junho. No mês de julho, 3,1 milhões (22,8% do total) que apresentaram algum dos sintomas pesquisados buscaram atendimento médico, sendo a maior parte, 75% das pessoas, na rede pública.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Mensal (PNAD Covid 19), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 3.554 municípios. Cerca de 2.000 mil entrevistadores estão coletando desde maio a pesquisa por telefone.

Outro dado mostra que, do início da pandemia até julho, cerca de 13,3 milhões de brasileiros, ou seja, 6,3% da população fizeram algum teste para diagnóstico da Covid-19. A maior parte são pessoas de 30 a 59 anos (59,4%). Do total de brasileiros que fizeram o teste, 20,4% registraram positivo para a doença (2,7 milhões de pessoas).

A Unidade da Federação com o maior percentual de testes realizados foi o Distrito Federal (16,7%), seguida por Amapá (11,0%) e Piauí (10,5%). Pernambuco registrou o menor percentual (4,1%).

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, lembrou que o diagnóstico da doença não é feito somente por teste.

“O teste tem sua finalidade; e a sua indicação ocorre por um médico. O diagnóstico do paciente pode ser feito apenas pelo exame clínico físico; ele pode ser feito com o suporte por imagem, então o exame clinico mais o diagnóstico imagem; pode ser feito pelo exame clinico com o suporte laboratorial, onde entra o teste; e pode ser feito pelo exame clinico com uma investigação epidemiológica, verificando quem foram os contactantes; e identificar se aquele paciente realmente está infectado pelo coronavírus ou não”, disse o secretário.

“Estamos envidando todos os esforços para ampliarmos a testagem”, completou Elcio Franco. Segundo ele, só o laboratório da Fiocruz, inaugurado na semana passada no Rio de Janeiro, passou a ter capacidade de 20 mil testes dia. E o laboratório da Fiocruz no Ceará ampliou em mais 10 mil.

A realização de testes foi um dos novos temas abordados em julho pela Pesquisa do IBGE, assim como a comorbidade, o comportamento das pessoas em relação ao distanciamento social e o uso de itens de higiene e proteção.

Comorbidades

Em julho, segundo o IBGE, havia 22,4% da população com alguma doença crônica pesquisada, sendo a hipertensão a mais frequente (12,8%), seguida por asma, bronquite ou enfisema (5,7%); diabetes (5,3%); e depressão (3,0%). O percentual de pessoas com alguma doença crônica e que testou positivo para a doença foi de 1,6%.

Comportamento

A pesquisa também aponta que, em julho, 4,1 milhões de pessoas, ou seja, 2% da população não adotaram qualquer medida de distanciamento social. Outro dado revela que 64,4 milhões (30,5%) de pessoas reduziram o contato, mas continuaram saindo de casa; e 92 milhões (43,6%) só saíram em caso de necessidades básicas.

Itens de higiene e proteção

Dos 68,5 milhões de domicílios nos quais foi investigada a existência de itens básicos de higiene e proteção, em quase todos havia sabão ou detergente (99,6%), máscara (99,3%) e água sanitária ou desinfetante (98,1%). O álcool 70% estava presente em 95,8% dos domicílios, enquanto as luvas descartáveis em 43,2%.

Auxílio Emergencial

A pesquisa do IBGE também aponta que, em julho, 30,2 milhões de domicílios (44,1%) foram beneficiados com o Auxílio Emergencial pago pelo Governo Federal. Em junho, eram 43% e, em maio, 38,7%.

Vacinas Covid-19

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, disse que todas as vacinas interessam ao governo brasileiro, desde que seja possível imunizar a população como um todo, e num curto intervalo de tempo.

Ele comentou sobre a vacina chinesa que está sendo testada no Brasil em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. “No momento, as conversações com o Butantã são com a intenção, com a necessidade que ele apresentou, é de apoio para o desenvolvimento da vacina. Num segundo momento, acompanhando essa efetividade da capacidade de imunização da vacina, e com mais dados sobre essa capacidade de entregas, sobre a disponibilidade e a quantidade de vacinas, dentro de um calendário, é que se vai negociar a aquisição da vacina”, disse Elcio Franco.

A Anvisa já aprovou testes clínicos em quatro estudos de vacina no Brasil. Além da que está no Instituto Butantan, está sendo testada vacina produzida em Oxford.

Dados Covid

O Ministério da Saúde também atualizou os dados referentes à Covid-19 no Brasil. Já foram notificados 3.761.391 casos da doença e já se recuperaram 2.947.250 pessoas. O país registrou 118.649 óbitos pelo novo coronavírus.

Segundo o ministério, até o momento, já foram distribuídos a estados e municípios 10.711 ventiladores pulmonares e habilitados 12.166 leitos de UTI exclusivos para o tratamento da Covid-19, um investimento de R$ 1,7 bilhão. Cerca de 20 milhões (20,1 milhões) de medicamentos foram distribuídos aos entes federativos.

 

Fonte: Portal Gov.br