O impacto da reforma da Previdência para o trabalhador rural

Se a reforma for aprovada, veja o que muda para os trabalhadores rurais

ENTENDA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA – PARTE 11

Naturalmente, o trabalhador rural exerce sua profissão distante de ambientes urbanos, no campo ou no mar – no caso dos pescadores.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente, no país, 6 milhões de brasileiros com mais de 65 anos são agricultores familiares de pequenas propriedades, o perfil mais numeroso de trabalhador rural. No entanto, o número de aposentadorias rurais chega a 9 milhões.

“O que nós observamos é que a regra hoje é muito benevolente. Quando a gente diz benevolente, quer dizer que não há praticamente nenhuma exigência, os sindicatos mesmo é que fornecem o certificado para que a pessoa possa ingressar no regime de aposentadoria”, explica Felipe Salto, diretor executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado Federal.

Mudanças previstas

A regra atual:
– Mulheres: se aposentam aos 55 anos;
– Homens: aposentadoria a partir dos 60 anos;
– O tempo mínimo de atividade rural é de 15 anos;
– A comprovação é feita via sindicato.

A regra da PEC da reforma:
– Aposentadoria a partir dos 60 anos para homens e mulheres;
– Tempo de atividade mínimo de 20 anos;
– Contribuição mínima de R$ 600,00 por ano.

Crédito: TV Senado

 


A reforma da Previdência, prevista na PEC 6/2019, é do interesse de todos. Com base em uma série produzida pela TV Senado neste ano, abordando os principais pontos da reforma da Previdência, a Desenvolver Treinamentos traz esclarecimentos sobre o assunto, mostrando como as mudanças apresentadas pelo governo na proposta afetam a vida das pessoas.