Parceria garante implantação da Política e Plataforma de Recursos Genéticos para Alimentação e Agricultura

Objetivo é garantir a soberania, segurança alimentar e nutricional do país

Atualmente o Brasil concentra 20% de toda a biodiversidade do planeta. Um passo importante foi dado para garantir a preservação do patrimônio genético de espécies vegetais, animais e microbianas, contribuindo para a evolução da agropecuária e da segurança alimentar no país. Isso porque o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) contará com a colaboração do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) na implantação da Política e da Plataforma Nacional de Recursos Genéticos para Alimentação e Agricultura.

De acordo com o Mapa, a implantação de uma Política e Plataforma de Recursos Genéticos têm como diretrizes garantir a soberania, segurança alimentar e nutricional do país, valorizar a agrobiodiversidade nacional, evitar a erosão genética e promover a diversificação da base alimentar.

Uma das ferramentas utilizadas será o banco genético para conservação de recursos genéticos da Embrapa, que é o quinto maior do mundo. Segundo o Ministério da Agricultura, são mais de 110 mil amostras de 800 espécies diferentes de seres vivos. “A ideia é expandir essa plataforma nacionalmente, com a inclusão de outras instituições públicas e privadas, como universidades e institutos federais, além de representantes dos setores agrícolas”, cita a nota do ministério. “A nova plataforma deverá contar com um sistema e uma rede nacionais, que poderão ser acessados pelos setores público e privado e também alinhados internacionalmente.”

A previsão é que a política e plataforma de recursos genéticos sejam lançadas em junho deste ano.

 

Com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.