Presidente do Inep esclarece dúvidas sobre o exame

Em live, Alexandre Lopes detalhou medidas tomadas para assegurar segurança sanitária nos dias de prova e explicou implementação gradativa do Enem Digital

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, participou recentemente de live da Rede Record de Televisão para esclarecer dúvidas sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 e detalhar as medidas tomadas pelo Inep para assegurar a aplicação do exame, diante dos impactos causados pela pandemia de coronavírus. A live foi transmitida pelo canal do Jornal da Record, no YouTube.

Durante a live, Lopes detalhou as principais adaptações feitas nesta edição do Enem, com o objetivo de proporcionar a segurança sanitária e a igualdade de condições a todos os participantes. “A pandemia afetou a todos. Desde que começamos o processo para elaboração do Enem 2020, houve uma preocupação com relação à data. Fizemos uma consulta aos jovens, conversamos com os secretários estaduais de Educação e com os representantes das instituições de ensino superior públicas e privadas. Decidimos, então, fazer a prova em janeiro. Isso é importante e dá um pouco mais de tempo para os jovens se prepararem, além de oferecer mais segurança, em função da queda do número de pessoas infectadas”, pontuou. As provas da edição 2020 do exame estão marcadas para os dias 17 e 24 de janeiro de 2021 (versão impressa); e 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021 (versão digital).

Para Lopes, a realização desta edição do Enem reflete o esforço da autarquia e do Governo Federal para garantir a aplicabilidade do exame e assegurar o direito democrático de acesso à educação superior. “O Enem serve como porta de entrada para a faculdade ao jovem brasileiro. Pior do que ter o Enem no meio da pandemia seria não ter e não dar, ao jovem, a chance de entrar na faculdade. É isso que a gente está procurando assegurar”, explicou. Em 2020, houve aumento na quantidade de inscritos. Enquanto 5,1 milhões de pessoas se inscreveram em 2019, 5,7 milhões confirmaram inscrição neste ano.

Medidas de segurança

Entre as medidas implementadas para o Enem 2020, em virtude do contexto de pandemia de COVID-19, estão a disponibilização de álcool em gel aos participantes e a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção facial durante a prova. O participante poderá levar mais de uma máscara para troca ao longo do dia. As máscaras serão verificadas pelos fiscais, com a distância recomendada para evitar possíveis infrações. Além disso, a distância entre os participantes nos locais de prova também será maior, em relação a outras edições do exame. Em 2019, o Enem foi aplicado em 120 mil salas de aula, em cerca de 10 mil locais de prova. A edição de 2020 contará com 150 mil salas, em 14 mil pontos de aplicação. Profissionais que vão trabalhar nos dias de prova, entre aplicadores, fiscais e demais colaboradores também serão capacitados, por meio de cursos a distância, para se adequarem às medidas de segurança sanitária.

Enem Digital

O presidente do Inep também falou sobre a importância do formato digital do exame, a implementação e a consolidação do modelo, de modo gradual, até 2026. “É uma forma até de ajudar a induzir que as escolas implementem plataformas digitais para seus alunos. Estamos trabalhando de maneira gradual, não é de um ano para o outro. Até 2026, as redes estaduais poderão realizar esse treinamento nas plataformas digitais, com seus alunos. Isso a gente faz para poder evoluir com o exame e melhorar a qualidade da prova, além de levar a cultura digital a todos os jovens do Brasil”, explicou Alexandre Lopes. Na edição de 2020, o Enem Digital ocorrerá como aplicação-piloto. Ao todo, 96.086 inscritos estão confirmados para fazer a prova no novo modelo. Os computadores para o exame serão disponibilizados nos locais de aplicação e não será possível utilizar equipamento pessoal.

Enem seriado

O Enem também passará a ser aplicado, de maneira seriada, nos três anos finais da educação básica, correspondendo ao Novo Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), aplicado ao ensino médio. O exame, no entanto, continuará com a aplicação no modelo atual. A implementação do formato seriado será feita de maneira gradual. Em 2021, a prova será aplicada, em versão digital, na 1ª série do ensino médio, para todos os alunos das redes públicas e privadas. A aplicação ocorrerá nas escolas e a matriz de prova será baseada nas disciplinas de língua portuguesa e matemática, em função da implementação dos currículos do Novo Ensino Médio. “Esse sistema que estamos implementando tem justamente o objetivo de aperfeiçoar o sistema educacional e os desempenhos tanto do aluno quanto de professores e gestores. Todos os anos, vamos levar as provas e os resultados para as famílias, aos professores e diretores de escolas. Essas informações poderão ser utilizadas para a melhoria da educação”, explicou Lopes.

 

Fonte: Portal Gov.br