Programa Inova HFA vai incubar e acelerar tecnologias inovadoras na saúde

Com participação do MCTI, iniciativa vai testar e validar tecnologias que serão disseminadas para todo o sistema de saúde do país

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, assinou recentemente a portaria interministerial que cria o programa Inova HFA. A iniciativa, que tem participação também do Ministério da Defesa e do Ministério da Saúde, vai atuar na testagem e validação de tecnologias inovadoras para uso posterior em todo o sistema de saúde do país. A ideia é que o Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, atue como uma incubadora e aceleradora desses projetos.

O ministro Marcos Pontes destacou a parceria que já existe entre o MCTI e o HFA com o uso do robô Laura, que por meio de inteligência artificial monitora pacientes internados e emite alertas à equipe médica com antecedência de 10 horas em casos de deterioração clínica. Ele também ressaltou o papel da ciência e tecnologia no setor de saúde.

“Além do robô Laura, a ideia é que tenhamos outros tipos de sistemas e o desenvolvimento de equipamentos que ajudem pacientes, médicos e profissionais de saúde. As ações de ciência e tecnologia para a área de saúde são primordiais para o país. Com um convênio como esse, a gente tem o desenvolvimento de soluções em conjunto com o hospital, médicos e gestores, o que traz o sentido prático do uso dessas tecnologias para o país”, afirmou.

Já o comandante logístico do Hospital das Forças Armadas, general Rui Matsuda, explicou que o incentivo à inovação será feito por meio da cooperação entre governo, empresas e academia. A iniciativa faz parte de um projeto maior para a criação de um hospital inteligente.

“Entenda-se o Inova HFA como a transformação do hospital em um importante laboratório para incubar e acelerar projetos de pesquisa de inovação para atender a demanda do sistema de saúde nacional. Ele já nasce com um desafio, ser o cerne para o protótipo de um hospital digital e inteligente, oxigenado pelos ares da tecnologia que facilita e entrega real valor aos nossos pacientes”, disse.

Laura e MCTI

O robô Laura entrou em funcionamento no HFA a partir de 26 de março com a assinatura do acordo de cooperação com participação, além do ministério e do HFA, do Ministério da Defesa, o Instituto Laura Fressatto, criador da tecnologia, e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), organização social do MCTI.

A tecnologia da plataforma foi criada pelo presidente do Instituto Laura, Jacson Fressatto. Com a perda da filha nascida prematura por sepse, uma complicação por infecção generalizada, em 2010, o arquiteto de sistemas desenvolveu um robô cognitivo que lê um grande número de informações dos pacientes e emite alertas com antecedência ao detectar quadros de infecção, o que já ajudou a salvar mais de 12 mil vidas, segundo o Instituto.

Saiba mais aqui: https://www.laura-br.com/

 

Fonte: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações