Programa Parque+ leva acessibilidade às Unidades de Conservação

Ações são voltadas à promoção do ecoturismo inclusivo

Pelo menos 45 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência. Isso representa quase 25% da população, segundo o último levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) lançou o programa Parque+. O programa propõe um conjunto de medidas para incrementar a prática do ecoturismo e consolidar as Unidades de Conservação (UCs) como espaços de lazer e também de desenvolvimento socioeconômico sustentável. Dentro da proposta está o Projeto Acessibilidade.

As ações desse eixo são voltadas ao desenvolvimento e à instalação de estruturas acessíveis necessárias à promoção do ecoturismo inclusivo, atendendo especificamente a pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida. O objetivo é promover a cidadania, facilitando o acesso às atrações naturais, e, dessa forma, aumentar o número de visitantes com mobilidade reduzida nas UCs.

Nesta modalidade, foram entregues cadeiras de rodas adaptadas para os seguintes parques nacionais: Chapada dos Guimarães, do Iguaçu, dos Campos Gerais, da Serra dos Órgãos, de Itatiaia e de Brasília.

As cadeiras de rodas entregues:

– são especiais e adaptadas para terrenos acidentados e trilhas;

– possuem capacidade para um indivíduo de até 90 kg;

– contam com cinto de segurança afivelado, apoio para cabeça e freio estacionário para garantir mais segurança aos usuários;

– são confeccionadas em aço-carbono, com pintura eletrostática e sistema de amortecimento do quadro;

– são destinadas para o transporte de pessoas portadoras de necessidades especiais ou com mobilidade reduzida pelas trilhas dos parques;

– também poderão ser utilizadas para resgate em caso de acidentes nos locais de difícil acesso;

– serão distribuídas por mais de 20 parques nacionais.

Outro resultado alcançado foi a incorporação à RedeTrilhas das trilhas Transcarioca, no Rio de Janeiro, e Caminho de Cora Coralina, em Goiás.

 

Com informações do Ministério da Agricultura e Meio Ambiente.