PRT + Integrado busca desenvolver destinos turísticos brasileiros

O Programa de Regionalização do Turismo do MTur realizou recentemente, em Brasília, o 4º encontro do PRT + Integrado com gestores das Instâncias Regionais de Governança das regiões turísticas e interlocutores estaduais do programa. Participaram do evento com dirigentes do MTur, representantes do PRT do Amapá, São Paulo e de Minas Gerais, além dos gestores dos circuitos turísticos Sertão Gerais (MG), Lago de Furnas (MG) e da região turística Cavernas da Mata Atlântica (SP).

Silvana Nascimento, diretora do Departamento de Ordenamento do Turismo da Secretaria Nacional de Estruturação do Turismo (DEOTUR) destacou que esses encontros têm como objetivo apresentar programas que servem como base para o desenvolvimento do setor. “O nosso propósito é aprimorar a interlocução e sanar os gargalos apresentados sobre assuntos de grande importância para o desenvolvimento do Programa de Regionalização do Turismo. Essa troca de experiência entre os líderes do PRT e das instâncias turísticas regionais mostra a diversidade da oferta turística de cada estado e apresenta as demandas para estruturação do turismo nos destinos”.

Em parceria com os estados, o PRT possibilita aos destinos receberem ações do MTur, entre elas, obras de infraestrutura, incentivo aos eventos geradores de fluxo turístico, promoção e marketing, cursos de qualificação, atração de investimentos e financiamento de projetos públicos e privados pelo Fungetur e Prodetur + Turismo. O PRT tem como ferramenta para trabalhar o desenvolvimento regional, o Mapa Brasileiro do Turismo que passa por atualização bienal e contempla os municípios que integram as regiões turísticas definidas pelos estados para fortalecer a atividade e o desenvolvimento regional.

Para integrar uma região turística e participar do Mapa, o município precisa, além de ofertar atrativos turísticos, ter orçamento e um setor estruturado para desenvolver a atividade e um conselho municipal de turismo. Entre outros critérios, também é necessário ter serviços cadastrados no Cadastur, que é o cadastro de prestadores de serviços turísticos do MTur, como meios de hospedagem. Quanto mais serviços cadastrados, maior é a possibilidade do destino se destacar no mercado e ampliar sua categoria e participação no desenvolvimento regional.

Os detalhes para os destinos se manterem no novo Mapa, que será atualizado no segundo semestre e continuarem participando dos diferentes programas do MTur foram apresentados pelos coordenadores das diversas áreas da Pasta. A estrutura da nova Secretaria Nacional de Integração Interinstitucional também foi apresentada no evento. A coordenadora geral de Meio Ambiente, Cultura e Economia Criativa, Nicole Facuri, falou dos destinos de natureza e aventura, como parques nacionais e cidades históricas, além da proposta de uma rede de cidades que fortalecem o turismo por meio da gastronomia, artesanato, folclore, design, audiovisual e música, entre outras atividades culturais da chamada economia criativa.

“Esses encontros são importantes para consolidação do PRT nos estados. Além da aproximação dos destinos com o Ministério do Turismo, trocamos experiências entre diferentes realidades regionais e aprimoramos a gestão das regiões turísticas através das nossas instâncias de governança”, disse Thayse de Castro, presidente do Circuito Turístico Lago de Furnas, formado por 12 municípios. A região banhada pelo “Mar de Minas”, como é conhecida a represa, conta com 34 municípios e quatro circuitos turísticos que pleiteiam uma hidrovia para conectar os destinos, hoje, “separados” pelo lago.