Saúde investe cerca de R$ 17 milhões para apoio ao aleitamento materno

No total, 382 municípios serão contemplados pela Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil

O Ministério da Saúde está fortalecendo ainda mais as ações de monitoramento e apoio ao aleitamento materno e à alimentação saudável das crianças menores de dois anos de idade. Para isto, a pasta está investindo cerca de R$ 17 milhões para municípios ampliarem as estratégias de promoção e incentivo à amamentação infantil. A medida faz parte da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil, iniciativa que qualifica o trabalho dos profissionais que atuam nos postos de saúde e reforça a promoção do aleitamento materno infantil. Os recursos foram estabelecidos pela Portaria n°3.297, publicada no Diário Oficial da União (DOU) no dia 07 deste mês.

“A amamentação é capaz de reduzir até 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de 5 anos. Ela ajuda a prevenir o adoecimento, combater a fome e a desnutrição e garante a segurança alimentar ao bebê. O leite materno é o alimento mais completo para a criança desenvolver de forma saudável até os seis meses de vida. Por isso, o Governo Federal está repassando recursos para uma estratégia tão importante para o futuro da nossa nação”, reforça o secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Parente.

No total, 382 municípios que já fazem parte da estratégia estão sendo contemplados com o incentivo financeiro. O recurso poderá ser utilizado para aumentar o número de registros do estado nutricional e das práticas alimentares de crianças menores de dois anos; para implementação de ações de orientação às famílias sobre atividades saudáveis e de controle de doenças decorrentes da má alimentação; e fortalecimento do aleitamento materno. Os valores serão transferidos para os fundos municipais de forma automática e em parcela única.

A Atenção Primária à Saúde é essencial para a consolidação das ações de cuidado da saúde da criança pela proximidade com as famílias e as comunidades, facilitando o acompanhamento adequado. A partir dos seis meses, a orientação é para que o bebê continue recebendo leite materno até os dois anos com uma alimentação complementar saudável.

O Guia Alimentar para crianças brasileiras menores de dois anos, elaborado pelo Ministério da Saúde em 2019, traz recomendações e informações sobre como alimentar a criança para promover seu crescimento e desenvolvimento saudável, além de esclarecer dúvidas e dar orientações sobre amamentação e a alimentação no começo da vida.

 

 

 

Fonte: Portal Gov.br