Semob firma acordo para desenvolver tecnologia de mobilidade sustentável

Documento foi firmado com o Instituto para o Desenvolvimento de Sistemas de Transporte. Cooperação técnica também prevê capacitação de pessoal

A Secretaria Nacional de Mobilidade e Serviços Urbanos (Semob), do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), firmou na semana passada um acordo de cooperação técnica com o Instituto para o Desenvolvimento dos Sistemas de Transporte (iDestra) visando a criação de uma metodologia de capacitação de pessoal e o desenvolvimento de tecnologias com foco na mobilidade urbana sustentável. A parceria é válida por dois anos, contados a partir da publicação do termo no Diário Oficial da União.

“Cada vez mais, cresce a participação da tecnologia na mobilidade. Ela é fundamental para que o sistema seja eficiente e que possamos encontrar a dose certa para a utilização de cada sistema de transporte para as cidades. Só podemos fazer isso com tecnologia. Por isso, celebramos esse acordo de cooperação com a iDestra”, afirma o diretor de Planejamento e Gestão da Mobilidade e Serviços Urbanos do MDR, Cléver Almeida.

Entre os objetivos da cooperação a capacitação e treinamento para aplicações de sistemas inteligentes de transporte e trânsito (ITS, na sigla em inglês), que envolvem apoio presencial e remoto para os técnicos da Semob e de ensino a distância (EAD) para gestores e agentes locais. Também está inserido neste contexto o apoio para a formatação de modelos de ITS para as cidades brasileiras.

Outras das atribuições da parceria são a elaboração de publicações e criação de cursos para a divulgação do conhecimento tecnológico baseado nos estudos de mobilidade urbana; o apoio na elaboração de normas técnicas para programas de mobilidade urbana sustentável; e o auxílio na obtenção, sistematização e disponibilização de dados de mobilidade urbana junto aos municípios.

Profissionais da Semob e do iDestra estarão envolvidos no desenvolvimento das atividades. O acordo não prevê repasse de recursos financeiros entre as partes.

 

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Regional