Setor empresarial amplia em 90% o volume de crédito contratado via FCO em 2019

Somados ao segmento rural, financiamentos no Centro-Oeste já alcançaram R$ 5,7 bilhões este ano. Recursos federais são administrados pelo MDR para auxiliar desenvolvimento da região

O volume de recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) destinado a segmentos empresariais cresceu 90,3% entre janeiro e setembro deste ano, na comparação com o mesmo período de 2018. As operações de crédito alcançaram R$ 2,3 bilhões em 2019, ante R$ 1,2 bilhão no ano anterior. Somados aos financiamentos para o setor rural, que registraram R$ 3,4 bilhões até o último mês de setembro, já foram concedidos R$ 5,7 bilhões a empreendedores e produtores da região em 2019.

Os valores do FCO são administrados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e concedidos por meio do Banco do Brasil. Os recursos aquecem a economia, geram emprego e renda no Centro-Oeste. Possibilitam o financiamento de projetos para abertura do próprio negócio, investimentos para expansão das atividades, aquisição de estoque e até para custeio de gastos gerais relacionados à administração – aluguel, folha de pagamento, despesas com água, energia e telefone.

Nos três primeiros trimestres deste ano, Goiás foi o estado do Centro-Oeste a registrar o maior volume de recursos contratados, com R$ 2,1 bilhões em financiamentos. Na sequência, aparecem Mato Grosso (R$ 1,7 bilhão), Mato Grosso do Sul (R$ 1,2 bilhão) e Distrito Federal (R$ 544 milhões).

Condições atrativas

O FCO é um dos três fundos constitucionais criados para implementar a política de desenvolvimento regional e reduzir as desigualdades entre as diferentes áreas do País – os outros são o do Norte (FNO) e do Nordeste (FNE). Apesar de oferecer condições atrativas também a grandes investidores, os recursos são voltados, prioritariamente, a atividades de pequeno e médio porte. Para o setor rural, inclusive, as taxas de juros são as mais baixas de mercado e contemplam agricultores familiares por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Saiba mais.

 

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Regional